sábado, 12 de fevereiro de 2011

Carta à minha querida avó!

Querida avó:

Espero que estejas bem nesse assento divino onde estás. Provavelmente esta carta nunca te encontrará. Mas não te preocupes que daqui a muitos anos dir-te-ei estas mesmas palavras. Quero que saibas que tenho saudades tuas.
Apesar de já ter passado 4 anos desde que partis-te,naquele 4 de Fevereiro de 2007,  é sempre difícil superar a perda de alguém. É difícil cada vez que me lembro de ti e que nunca mais irás voltar, é impossível não chorar. Passas-te por muita coisa , e eu vi-te passar pela dor milhares de vezes, doeu tanto todas as vezes que foste para o hospital e eu ia lá visitar-te, doeu estar ao pé de ti e ver-te naquele estado a sofrer e ver todos aqueles que te amavam e continuam a amar-te a sofrer também. Doía muito ver-te sofrer e não puder fazer nada, mas eu tinha era de aguentar por ti,e controlar-me quando estava perto de ti, quando a vontade era deixar as lágrimas caírem pelo meu rosto. Doía muito e ainda continua a doer. Quando soube que partiste, por momentos o meu mundo parecia que estava a desmoronar, passei dias e noites a chorar. Não conseguia mentalizar-me que nunca mais ia sentir o toque da tua mão que nunca mais ia ouvir a textura da tua voz, que nunca mais te ia ter ao meu lado. Que nunca mais ias estar perto de nós, que já não me ias ver crescer e ter um futuro feliz com que sempre desejas-te para mim e para todos os teus netos, e um bisneta que sempre dizias que éramos o teu orgulho. Eu queria ter sido forte e ter dado a força à minha mãe e a minha irmã, sei que elas precisavam, mas não consegui, desculpa minha querida avó, mas naquele momento não fui capaz, custou-me tanto ver-te partir assim daquela maneira. Pior que a perda são as saudades que sinto tuas, quando entro em tua casa, quando vejo o avô, quando vejo os vídeos e fotografias da família. Dói não ter despedido de ti como eu me deveria ter despedido. Dói saber que dizes-te por várias vezes que pelo menos querias ver-me a entrar na Universidade, e a sair de lá com o meu curso, mas por ironia do destino apenas me vis-te a frequentar o secundário. Dói saber que não irás estar cá um dia quando eu me casar e quando tiver filhos. A minha irmã todos os dias me diz "Gostava tanto que a avó conhecesse o meu filho", ela nem imagina como me sinto quando ela fala em ti, quando vamos ao cemitério, quando vamos a casa do avô, sinto-me tão mas tão angustiada por saber que nunca mais poderei estar contigo.
Sinto tantas saudades daqueles almoços, festas, passeios e jantares com a família toda, pena agora a família não é o que era desde que partis-te. Obrigado por tudo, por teres tomado conta de mim, da minha irmã e de alguns primos quando éramos pequenos.

Só queria que estivesses aqui minha avó, preciso tanto de ti, sinto a tua falta, do teu conforto, do teu carinho, do teu amor, da tua alegria, da tua bondade minha querida e eterna AVÓ.



19 comentários:

  1. é tão bom sentir os aplausos das pessoas , dar o grito de guerra antes de entrar , aquele nervoso :$

    ResponderEliminar
  2. Antes de mais quero voltar a agradecer-te pelos teus comentários. São muito importantes para mim :)

    Quanto a esta mensagem, nem sei bem o que dizer... Eu também tinha uma bisavó que amava imenso e que, infelizmennte, morreu há algum tempo. Percebo perfeitamente o que sentes mas tenho a certeza que neste momento ela está muito orgulhosa de ti. Continua :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Está tudo a começar a ficar bem :)

    ResponderEliminar
  4. Não minha linda, não desta forma **

    ResponderEliminar
  5. Está lindo o texto (:
    Obrigada querida (:

    ResponderEliminar
  6. Really wonderfull!
    I liked so much!
    Congratulations dear!

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que gostaste :)
    Eu gostei deste textinho: vivo com os meus avós e adoro-os muito *

    ResponderEliminar
  8. Está fantástico :o

    Muito obrigado ;)

    ResponderEliminar
  9. Muito obrigada ainda bem que gostas, tb te sigo :)

    ResponderEliminar

Obrigado pelo teu comentário :)